Bomba explode em restaurante em Palma de Maiorca

Uma bomba explodiu hoje em um restaurante na ilha espanhola de Palma de Maiorca, após um telefonema de alerta do grupo separatista basco ETA, de acordo com relatos da mídia espanhola.

AE, Agencia Estado

09 de agosto de 2009 | 12h25

O dispositivo não era de forte impacto e ninguém foi seriamente ferido, de acordo com a agência de notícias Europa Press. As autoridades do ministério do Interior da Espanha ou de Maiorca não foram encontradas de imediato para comentar o assunto.

Pela manhã, o ETA divulgou comunicado assumindo a responsabilidade por diversos ataques recentes, incluindo um que provocou a morte de dois membros da guarda civil e outro que matou um inspetor de polícia.

Na carta, divulgada pelo diário Gara, que é pró-independência da região Basca, o grupo assumiu a autoria do ataque com carro-bomba de 30 de julho, ocorrido na frente do quartel general da Guarda Civil na ilha de Maiorca. O ETA também disse estar por trás da explosão de outro carro-bomba, em 19 de junho, que matou um inspetor de polícia na cidade basca de Arrigorriaga.

Fundado há meio século, o ETA provocou a morte de 828 pessoas em sua violenta campanha pela criação de um território basco independente - região que compreende partes do norte Espanha e sul da França.

Considerado uma organização terrorista pela União Europeia e os Estado Unidos, o grupo retomou sua campanha de violência no meio de 2007, após um cessar fogo que durou 15 meses, durante as negociações com o governo socialista do primeiro-ministro José Luis Rodriguez Zapatero. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ETAbombaPalma de Maiorca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.