Bomba fere 9 pessoas nas Filipinas

Atentado foi atribuído à guerrilha muçulmana FMLI; artefato explodiu debaixo de uma passarela

Efe,

23 de março de 2009 | 05h37

Uma bomba explodiu ferindo nove pessoas no sul das Filipinas, em um atentado atribuído à guerrilha muçulmana separatista Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI).

 

A explosão ocorreu no domingo à noite em Kidapawan, na província de Cotabato do Norte, onde a bomba, de fabricação caseira, foi detonada debaixo de uma passarela, segundo o chefe da Polícia local, superintendente Jose Calimutan.

 

Segundo ele, a sorte foi que o local estava relativamente vazio, por ser quase meia-noite.

 

Embora a Polícia ainda não tenha concluído a investigação, o tenente-coronel Jonathan Ponce, porta-voz do Exército filipino na região, disse que o ataque é obra de Umbra Kato, comandante dissidente do FMLI, cuja captura tem recompensa fixada em mais de US$ 100 mil.

 

Em agosto de 2007, ele e outros chefes rebeldes atacaram povoados cristãos no sul da ilha de Mindanao em resposta ao último fracasso do processo de paz com o Governo, em uma onda de violência que deixou mais de 300 mortos.

 

Fundado em 1984, o FMLI é a maior organização separatista das Filipinas, com mais de 12 mil integrantes que usam o terrorismo para tentar fundar um Estado islâmico independente no sul do país.

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinasatentadoexplosão de bomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.