Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bomba mata 8 e fere 40 no Paquistão

Pelo menos oito pessoas foram mortas nasegunda-feira por uma bomba deixada numa calçada de um bairropobre de Karachi, a maior cidade do Paquistão. O número de vítimas foi indicado à Reuters pelo chefe depolícia da província do Sindh, Azhar Ali Farooqi. Karachi é acapital dessa província. Segundo Farooqi, a bomba foi colocada numa moto, e não setratou de um ataque suicida. "Foi um dispositivo eletrônicoimprovisado e foi plantado numa moto que estava estacionada aolado de um carrinho de rua." Dezenas de pessoas se aglomeraram no local gritandopalavras contra o governo. Uma tropa especial foi enviada àárea. Centenas de pessoas morreram na violência política dosúltimos meses no Paquistão, inclusive a líder oposicionistaBenazir Bhutto, assassinada em 27 de dezembro. Na semanapassada, um atentado suicida matou 16 policiais e 3 civis emLahore (leste). Ninguém assumiu a responsabilidade pelos ataques, mas ogoverno os atribui a militantes ligados à Al Qaeda e radicadosna região tribal da fronteira com o Afeganistão, onde háescassa presença das instituições do Estado. O presidente Pervez Musharraf, que está em visita aKarachi, havia dito antes do atentado que a militância islâmicarepresenta uma ameaça ao país e que seu governo pretendeerradicá-la. O clima de insegurança se agrava com a aproximação daeleição geral de 18 de fevereiro, que pode enfraquecersignificativamente Musharraf, completando a transição daditadura militar para um regime civil. A votação havia sido prevista par 8 de janeiro, mas foiadiada devido à morte de Bhutto. (Reportagem adicional de Imtiaz Shah)

FAISAL AZIZ, REUTERS

14 de janeiro de 2008 | 18h28

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOBOMBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.