AFP / GEORGE OURFALIAN
AFP / GEORGE OURFALIAN

Bombardeio a mesquita em Aleppo mata 42

ONG diz que ataque foi lançado por aviões não identificados e alerta que número de mortos deve subir

O Estado de S.Paulo

16 de março de 2017 | 19h19

CAIRO -  Pelo menos 42 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas nesta quinta-feira no bombardeio a uma mesquita no oeste da cidade de Aleppo, no norte da Síria, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos. A ONG detalhou que o ataque aconteceu na cidade de Alyina, situada ao sudoeste de Al-Atareb.

O Observatório disse que aviões não identificados promoveram um "massacre" e causaram "grande destruição" no templo. A ONG alertou que o número de mortos pode aumentar, pois há feridos em estado grave.

O ataque ocorreu durante a oração de Al Ishá, a última do dia, razão pela qual havia fiéis no interior da mesquita e ainda estão sendo retirados corpos de debaixo dos escombros. O Observatório acrescentou que a maior parte das vítimas é de civis.

A ONG também informou que três pessoas morreram anteriormente em bombardeios sobre áreas do oeste da Província de Aleppo, da qual a cidade homônima é capital.

Essa parte da região está sob o controle de grupo rebeldes opositores, que costumam ser alvo de bombardeios do Exército sírio, assim como da aviação da Rússia, que apoia as forças governamentais no terreno.

Na quarta-feira foi o sexto aniversário do começo do conflito na Síria, no qual morreram 321.358 pessoas, das quais 96.073 civis, segundo a última apuração do Observatório. / EFE

 

Tudo o que sabemos sobre:
CAIROAleppoSíriaONGRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.