Bombardeio aéreo mata 30 integrantes da Al-Qaeda no Iêmen

Dois dos terroristas mais procurados pela polícia local podem ter sido mortos durante o ataque

Efe,

24 de dezembro de 2009 | 07h14

Pelo menos trinta militantes da Al-Qaeda morreram nesta quinta, 24, em um ataque aéreo do Exército iemenita contra um esconderijo na província de Shabwa, leste do país, informou a agência local de notícias Saba.

 

Uma fonte de segurança citada pela agência afirmou que se tratou de um "golpe" importante e que os membros da Al-Qaeda faziam uma reunião "na qual planejavam ataques contra interesses iemenitas e estrangeiros, entre eles alvos econômicos-chave do país".

 

Segundo a fonte, com estes planos "os terroristas - iemenitas em sua maioria, mas também estrangeiros, um deles saudita - tentavam organizar uma resposta contra os bombardeios de na semana assada", que mataram cerca de 30 terroristas.

 

O ataque aconteceu às 5h local (0h de Brasília) na zona de Rafad, na província de Shabwa, e, segundo as fontes citadas, trata-se de "um sucesso qualitativo".

 

O oficial de segurança afirmou que na reunião poderiam se encontrar dois dos terroristas mais procurados: o iemenita Nasser al-Waheeshi e o saudita Said al-Shahri, embora não tenham esclarecido se estão feridos ou se encontram entre as vítimas.

Tudo o que sabemos sobre:
IêmenSanabombardeio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.