Bombardeio americano mata 12 no Afeganistão

Aviões dos Estados Unidos bombardearam um vilarejo afegão em meio a uma batalha forças lideradas pelos americanos e rebeldes, matando mais de 12 pessoas e atingindo um campo de refugiados mantido por dinamarqueses. A violência na província de Kunar mais uma vez ressalta o perigo em que vivem os funcionários e agências humanitárias que atuam no leste e no sul do Afeganistão, áreas pobres e sem lei, palco de combates freqüentes.Militares americanos dizem que os ataques aéreos foram uma resposta a uma ação de rebeldes contra soldados dos EUA e do governo afegão, e que mais de 12 rebeldes foram mortos. Autoridades afegãs, porém, falam em cinco civis desarmados atingidos pelo bombardeio.O governador Sayed Fazel Akbar disse que o incidente começou quando agressores dispararam contra um acampamento militar na região de Mano Gar. ?Então os aviões americanos vieram e bombardearam a vila de Weradesh?, disse Akbar. ?Várias casas foram destruídas?.O Comitê Dinamarquês de Apoio aos Refugiados Afegãos (?DACAAR?, na sigla em inglês), que mantém uma equipe em Weradesh, disse que seus funcionários crêem que oito moradores foram mortos.

Agencia Estado,

31 de agosto de 2004 | 17h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.