Bombardeio atinge líder terrorista na Somália, diz Pentágono

Foi realizado um ataque aéreo pelos Estados Unidos na Somália com alvo em um líder do

Estadão Conteúdo

29 de dezembro de 2014 | 21h41

grupo extremista Al-Shabab, afirmou o Pentágono nesta segunda-feira. Não foi informada a identidade do líder nem se o ataque foi bem-sucedido;

Um oficial sênior de Defesa americano disse que o bombardeio não visava Ahmad Umar, que assumiu a liderança do grupo quando o comandante anterior, Ahmed Abdi Godane, foi morto em um ataque aéreo americano na Somália em 1º de setembro. O funcionário falou sob condição de anonimato.

Em uma breve declaração escrita, o Pentágono disse que o ataque aéreo ocorreu nesta segunda-feira nas imediações de Saakow. O órgão não deu detalhes, além de dizer que não acredita que a ação tenha causado vítimas civis e que está avaliando os resultados do ataque.

O Al-Shabab é um grupo militante islâmico ultraconservador, ligado à rede terrorista Al-Qaeda e quer ocupar a Somália por sua estrita interpretação da lei Sharia. Umar, o principal líder do grupo, é chamando por diversas formas. Oficiais de inteligência na Somália o conhecem como Sheikh Abdikarim Mahad. Em 2012, os Estados Unidos ofereceram uma recompensa de US$ 3 milhões para informações que levassem à sua prisão. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUASomáliaterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.