SANA via AP
SANA via AP

Bombardeio atribuído a Israel perto de Damasco mata 15 soldados pró-regime, incluindo 8 iranianos

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, alvo do ataque era um depósito de armas da Guarda Revolucionária, o Exército de elite do Irã

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2018 | 07h31

BEIRUTE - Um bombardeio noturno atribuído a Israel em uma área próxima a Damasco matou 15 combatentes estrangeiros leais ao regime sírio, incluindo oito iranianos, de acordo com um balanço divulgado pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

+ Defesa síria destrói três mísseis de Israel

+ Cenário: Conflito regional não é apenas cenário de ensaio acadêmico

O ataque foi registrado na noite de terça-feira, 8, contra um depósito de armas da Guarda Revolucionária, o Exército de elite do regime iraniano, no setor de Kiswe, sul da capital síria, afirmou o OSDH.

+ Ataques contra bases militares deixam dezenas de mortos e feridos na Síria

+ Irã não atacará países vizinhos, mas continuará a produzir armas, garante Rohani

O Exército sírio interceptou dois mísseis israelenses que se dirigiam a esse setor, segundo informações da agência de notícias síria Sana. As emissoras de TV estatais transmitiram imagens da região em chamas.

Quinze combatentes pró-regime estrangeiros morreram por disparos de mísseis, entre eles oito membros da Guarda Revolucionária, afirmou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

Uma fonte médica citada pela Sana informou a morte de dois civis em uma rodovia que liga a capital à cidade de Daraa, no sul do país, em uma explosão ligada à “agressão israelense”.

Ainda não houve nenhum comentário de Israel, que não costuma confirmar ou negar os ataques.

Desde o início da guerra na Síria em 2011, Israel tem realizado vários ataques contra o regime de Bashar Assad ou seus aliados, o Hezbollah libanês e o Irã. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.