Bombardeio da Otan mata 12 rebeldes por acidente em Misrata

Já é a terceira vez que aliança militar acerta insurgentes que tentam derrubar Kadafi na Líbia

estadão.com.br

27 de abril de 2011 | 19h10

MISRATA - Aviões de guerra da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) atacaram uma posição rebelde na zona de batalhas da cidade de Misrata, no oeste da Líbia, e mataram 12 rebeldes que lutam contra o ditador Muamar Kadafi, informou nesta quarta-feira, 27, o jornal americano New York Times. Os insurgentes disseram que se tratou de um acidente de fogo amigo.

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos da ditadura na Líbia

blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia

especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

 

Os rebeldes, que não quiseram se identificar por razões de segurança, estavam receosos de admitir as mortes, pois não queriam desencorajar futuros ataques da aliança militar contra as forças de Kadafi. A Otan aumentou os bombardeios nos últimos dias depois de um período de reclamações os rebeldes sobre a paralisação na incursão contra o ditador.

 

O ataque desta quarta atingiu uma fábrica de sal no bairro de Qasr Ahmed, por volta das 16h30 locais (11h30 no Brasil). Os rebeldes usavam o prédio como um posto de comando avançado desde a terça e afirmam ter notificado a aliança de ocupavam o local. Em abril, a Otan admitiu ter atingido grupos de rebeldes duas vezes, matando mais de dez insurgentes A aliança, porém, não comentou o acidente recente.

 

A cidade de Misrata , situada a leste da capital Trípoli, é alvo de batalhas entre os rebeldes e as tropas do ditador Kadafi. O local é disputado por ambos os lados e passou a ser o foco dos bombardeios da Otan. A aliança disse nesta quarta que conseguiu barrar um ataque das forças do coronel na cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.