Bombardeio da Otan mata 63 civis, segundo fontes afegãs

Pelo menos 63 civis morreram na madrugadade quarta-feira em um bombardeio das forças da Otan no sul doAfeganistão, segundo fontes do Conselho Provincial de Kandahar. Um membro do Conselho Provincial, Nic Mohammad, disse que asbombas caíram em uma área na qual centenas de afegãos que tinhamperdido suas casas em choques anteriores em Kandahar estavamRefugiados. "Essa noite recolhemos 61 corpos, e outras duas pessoas morreramno hospital", afirmou Mohammad, que condenou a ação da Otan eassegurou que apresentará em Cabul provas do ocorrido. Trata-se do maior número de baixas civis causado pelas tropas daOtan em um só bombardeio desde a invasão do Afeganistão pelos EUA em2001. A Força para a Assistência à Segurança no Afeganistão (Isaf), sobmandato da Otan, reconheceu nesta quinta-feira ter recebido "informaçõesverossímeis" sobre a morte de um número indeterminado de civis emoperações no sul e disse sentir "profundamente" essas mortes. A Otan informou na quarta-feira em comunicado que 48 militantestalibãs morreram em bombardeios no sul do país, mas, segundoMohammad, "nenhuma dessas 48 pessoas eram talibãs, todos eramcivis". O porta-voz do Ministério do Interior, Zemarai Basary, confirmouque a Isaf matou civis em três ataques ocorridos anteontem nodistrito de Panjwani, da província de Kandahar, mas não especificouo número de mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.