Bombardeio da Otan mata ao menos 11 supostos rebeldes no Afeganistão

Isaf não emitiu nenhuma informação sobre o ataque; forças de seguranças procuram suposto líder taleban no sul do país

Efe

19 de outubro de 2010 | 04h59

CABUL - Pelo menos 11 supostos insurgentes morreram na segunda-feira, 18, à noite em um bombardeio das forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) contra um refúgio no sul do país, informou nesta terça-feira, 19, uma fonte oficial.

O fato ocorreu na noite de segunda-feira no distrito de Shah Wali Kot, situado na conflituosa província de Kandahar, de acordo com o chefe administrativo distrital, Haji Abdullah, a partir das informações fornecidas pela Polícia afegã à Força Internacional de Assistência para Segurança (Isaf) - vinculada à Otan.

Segundo Abdullah, os insurgentes mortos estavam planejando ataques contra a cidade de Kandahar, capital da província.

A Isaf não emitiu até agora nenhuma informação sobre o fato, mas indicou nesta segunda-feira sobre um bombardeio ocorrido no domingo na província de Baghlan que supostamente causou as mortes de "mais de dez insurgentes".

O objetivo dessa operação era acabar com a vida de um suposto líder taleban responsável pelas operações insurgentes nos distritos de Dahana-i Ghuri e Puli Khumri.

Segundo a Isaf, as forças ocidentais se asseguraram que não havia civis na zona do bombardeio antes de realizá-lo, mas a organização reconheceu que, por enquanto, não pôde empreender uma expedição no terreno para estudar os fatos.

"A Isaf ainda está recopilando informações para confirmar essas notícias e averiguar se o indivíduo perseguido está entre os assassinados no bombardeio", afirmou o organismo em comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.