Bombardeio danifica embaixada em Bagdá

A Embaixada da Malásia em Bagdá sofreu leves danos durante os primeiros bombardeios liderados pelos Estados Unidos contra a capital iraquiana na semana passada, informaram fontes locais citadas pela agência de notícias iraniana IRNA.Os vidros do prédio que abriga a delegação diplomática foram estilhaçados pela onda de choque das bombas lançadas contra supostas bases da Guarda Republicana, as forças de elite do Exército de Saddam Hussein.A embaixada situa-se a cerca de 500 metros de um suposto ?bunker? da Guarda Republicana, duramente atacado pela aviação anglo-americana, informou a malaia TV3.Porta-vozes militares ouvidos pela emissora de televisão negaram que a representação diplomática tenha sido alvo das bombas. Um segurança iraquiano da embaixada escapou ileso.Em Pequim, fontes diplomáticas revelaram que a China entregou aos Estados Unidos o endereço de sua embaixada em Bagdá, para evitar que ela seja atacada pela força aérea norte-americana.O objetivo do governo chinês é evitar que ocorra com sua representação em Bagdá o mesmo que aconteceu com sua Embaixada em Belgrado, bombardeada por aviões norte-americanos num ataque aéreo apoiado pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em 1999.Veja o especial :

Agencia Estado,

24 de março de 2003 | 17h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.