Bombardeio deixa dez rebeldes xiitas mortos no Iêmen

Um carro-bomba atingiu uma casa usada por rebeldes xiitas Houthi em uma cidade ao sul de Sanaa, capital do Iêmen, matando pelo menos 10 pessoas e ferindo outras 15, de acordo com autoridades de segurança.

Estadão Conteúdo

20 de outubro de 2014 | 19h49

Todas as vítimas eram membros do movimento Houthi, cujos combatentes invadiram Sanaa no mês passado. O bombardeio na área de Radaa na província Baydah acertou a casa de Abdullah Idris, um alto funcionário do partido deposto do presidente Ali Abdullah Saleh.

Embora o ataque tenha características dos realizados pela Al-Qaeda, ninguém reivindicou a responsabilidade pelo atentado, que ocorreu horas após os funcionários relataram que os combates recomeçaram entre os houthis e combatentes da Al-Qaeda, em Radaa. As batalhas deixaram 13 rebeldes e 15 militantes mortos, de acordo com autoridades tribais da região.

Em Sanaa, o governador, Abdul- Ghani Jameel, demitiu-se, dias após os Houthis, que capturaram a capital no mês passado, o acusaram de corrupção e o perseguirem fora de seu gabinete.

Também nesta segunda-feira, as autoridades disseram que militantes da Al-Qaeda capturaram a cidade de Al-Adeen, a 200 quilômetros ao sul de Sanaa na província de Ibb. Eles não informaram mais detalhes. Os houthis têm tentado assumir o controle total de Ibb desde a semana passada.

No mês passado, a Al-Qaeda pediu que a maioria sunita do Iêmen lutasse contra os houtis, que por sua vez têm procurado se retratar combatendo o terrorismo, enquanto tentam criar um país unido. A Al-Qaeda reivindicou a responsabilidade por um atentado suicida no início deste mês, que matou 51 pessoas, principalmente houtis, em Sanaa. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Iêmenbombardeio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.