Bombardeio do regime sírio mata 16 civis; 13 vítimas eram crianças

Ataque aéreo realizado por forças leais ao presidente Bashar Assad ocorreu na província de Deraa, no sul do país

DAMASCO, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2015 | 02h05

Um ataque aéreo realizado pela Força Aérea Síria matou ao menos 16 pessoas, 13 delas crianças, no sul do país, informou ontem o Observatório Sírio de Direitos Humanos, ONG de oposição ao regime de Bashar Assad que monitora o conflito no país.

O grande número de crianças mortas se deve ao fato de o ataque aéreo atingir um centro de aprendizado do Alcorão, o livro sagrado muçulmano, na cidade de Al Garía Oriental, na Província de Deraa, no sul da Síria. O bombardeio deixou, além dos mortos, vários feridos, alguns em estado grave, razão pela qual a ONG não descartou que o número de vítimas aumente.

As imediações de Al Garía Oriental foram recentemente cenário de combates entre o Exército sírio e rebeldes da Frente Sulista, o principal agrupamento opositor que atua nas províncias meridionais do país.

O ataque ocorreu após rebeldes que tentam derrubar Assad terem matado ao menos 34 civis em um ataque a Alepo, a maior cidade do norte da Síria, no começo da semana passada.

Derrota. No front curdo da guerra civil, no leste da Síria, o Estado Islâmico - terceiro ator do conflito, distante tanto do regime de Assad quanto da oposição sunita - sofreu uma importante derrota na cidade de Tal Abiad.

Milícias curdas expulsaram as tropas do EI da cidade durante a noite, consolidando o avanço curdo contra o EI no leste do país.

Assim como no Iraque, os curdos que combatem o grupo radical buscam mais autonomia perante um governo central cada vez mais debilitado. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.