Bombardeio dos EUA deixa 14 mortos em Bagdá

Exército diz ter atacado xiitas rebeldes; para moradores, vítimas eram civis

Ap e Reuters, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2007 | 00h00

Um ataque aéreo das forças americanas e iraquianas matou, na madrugada de ontem, pelo menos 14 pessoas em Washash, um bairro xiita em Bagdá. Testemunhas disseram que vários civis estavam entre os mortos, incluindo uma mulher, e relataram que no mínimo dez casas foram destruídas.O Exército dos EUA informou que o ataque foi uma reação à investida de homens armados, durante uma operação contra uma milícia xiita que teria matado sunitas e policiais locais. Em comunicado, os militares afirmaram ainda que os extremistas eram desertores do Exército Mehdi, milícia do clérigo radical Muqtada al-Sadr, que na semana passada ordenou a suspensão das atividades do grupo por seis meses."Esse é um bairro tranqüilo, livre de milícias. Não houve nenhuma troca de tiros, estávamos todos dormindo", disse Abu Ali Saad, de 35 anos, que caminhava sobre os escombros da casa de seus vizinhos. "Os tanques começaram a disparar e os helicópteros chegaram, lançando mísseis. Uma família, de cinco pessoas, foi morta dentro de casa."Ainda ontem, o Ministério do Interior em Bagdá informou que não dissolverá a polícia iraquiana, como sugeriu um relatório de uma comissão independente do Congresso dos EUA. "Respeitamos esse ponto de vista (da comissão), mas discordamos totalmente dele", afirmou o porta-voz do Ministério do Interior, general Abdul-Kareem Khalaf. Outro relatório, organizado pelo comandante dos EUA no Iraque, general David Petraeus, será apresentado na próxima semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.