Bombardeio dos EUA fere líder do Estado Islâmico

Coalizão, que tem como alvo o grupo extremista, realizou ataques aéreos no fim de semana próximos a uma fortaleza na cidade de Mossul, no norte do Iraque

Estadão Conteúdo

09 de novembro de 2014 | 16h33

A coalizão liderada pelos EUA que tem como alvo o grupo extremista Estado Islâmico realizou ataques aéreos no fim de semana próximos a uma fortaleza na cidade de Mossul, no norte do Iraque, afirmaram autoridades de defesa americanas neste domingo.

Outro ataque, na cidade de Al Qaim, a cerca de 250 quilômetros de Mossul, deixou o líder do Estado Islâmico Abu Bakr Al Baghdadi ferido ou morto, de acordo com a mídia iraquiana. Autoridades norte-americanas disseram que não sabiam se Baghdadi estava presente no local.

Ambos os confrontos aconteceu na sexta-feira à noite. O ataque perto de Mossul destruiu um comboio com dez caminhões armados, disse um oficial da Defesa dos EUA. O Estado Islâmico tomou o controle da cidade, a segunda maior do Iraque, em junho. Em Al Qaim, dois ataques aéreos destruíram um veículo blindado e dois postos de controle, disse outro funcionário da Defesa americana.

Falah Al Essawi, um membro do conselho da província de Anbar, onde se localizam as duas cidades, afirmou à mídia iraquiana que Baghdadi tinha sido levado a um hospital local em Al Qaim para tratamento de emergência. Testemunhas disseram que os militantes invadiram o hospital e ordenaram que todos os pacientes e seus familiares saíssem imediatamente, deixando apenas os pacientes que passaram por cirurgias sérias. Os militantes confiscaram celulares de pacientes e de médicos para evitar qualquer comunicação.

Essawi também declarou à mídia iraquiana os ataques aéreos tinham destruído 40 veículos blindados, acima do que o número indicado pelo Comando Central das Forças Armadas dos Estados Unidos. "A informação que tivemos foi que um reunião de líderes do Estado Islâmico estava acontecendo", disse Raje Barakat, outro membro do conselho provincial de Anbar. "Não sabemos até agora se Baghdadi foi morto ou ferido", completou. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUAEstado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.