AFP PHOTO / HOSHANG HASHIMI
AFP PHOTO / HOSHANG HASHIMI

Bombardeio dos EUA mata por engano ao menos 16 militares do Exército afegão

Militares não estavam vestindo uniformes no momento do ataque

AP e AFP, O Estado de S.Paulo

22 Julho 2017 | 04h05

CABUL – As autoridades da província de Helmand, no sudoeste do Afeganistão, informaram que um bombardeio comandado pelos Estados Unidos provocou a morte de ao menos 16 integrantes das Forças de Segurança afegãs nesta sexta-feira, 21. Dois comandantes  militares estariam entre as vítimas, segundo fonte consultada pela agência AFP.

Em comunicado, os Estados Unidos confirmaram que explosivos foram lançados sobre o complexo militar durante uma operação contra insurgentes do Talibã. O local teria sido atingido por engano, já que os países são aliados na guerra contra grupos terroristas. Os EUA lamentaram as mortes e ofereceram condolências às famílias dos soldados.

O governador da província, Hayatullah Hayat, disse que os militares não usavam uniforme no momento da explosão, o que pode ter confundido as equipes americanas que sobrevoavam a área. A polícia local informou à agência Associated Press que as vítimas das bombas foram agentes que atuavam pelo Exército afegão na área.

Enquanto a maior parte de Helmand está sob controle do Talibã, os militares afegãos vêm travando batalhas acirradas para retomar o território. Equipes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e do Exército americano estão na região para auxiliar as tropas.

Já no norte do país, na província de Badakhshan, as autoridades informaram que onze policiais foram mortos e seis ficaram feridos em uma batalha contra membros do Talibã na região de Taga. Ao menos mais 20 agentes da polícia local estão desaparecidos. Não foi esclarecido se eles conseguiram escapar ou se foram sequestrados. / AP e AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.