Bombardeio dos EUA no Iraque mata 'emir' da Al-Qaeda

Abu Mohammad al-Afri idealizou o ataque na comunidade Yazidi em agosto, que matou mais de 400

REUTERS

09 de setembro de 2007 | 09h52

Um ataque aéreo dos Estados Unidos no Iraque matou um 'emir' da Al-Qaeda em Mosul, informou neste domingo, 9, o Exército americano. Abu Mohammad al-Afri teria sido um dos idealizadores do ataque a bomba na comunidade Yazidi em agosto, que matou mais de 400 pessoas.   Ocupação do Iraque Os ataques nas vilas de Kahtaniya e al-Jazeera foram os mais sangrentos no país desde a invasão liderada pelos EUA, em 2003. Um comunicado emitido pelo Exército dos EUA disse que al-Afri, parceiro de Abu Ayyab al-Masri, líder egípcio da al Qaeda no Iraque, é "emir" da rede terorista, ou príncipe, na região onde os ataques ocorreram.   Em 14 de agosto, quatro caminhões-bomba detonaram quase simultaneamente em bairros da província de Nínive.   Segundo dados do Ministério do Interior, foram utilizadas 2 toneladas de explosivos nos quatro ataques, que acabou sendo considerado um "ato de limpeza étnica" contra a seita curda   "Foi um ato de limpeza étnica, quase um genocídio, quando você considera o fato de que existia muito pouca segurança nessa parte remota da província de Nínive, e realmente não havia a necessidade de segurança até esse momento", comentou o major-general Benjamin Mixon, o comandante militar das forças dos EUA no norte do Iraque, poucos dias após o ataque.   Os seguidores da seita Yazidi são alvos freqüentes de ataques por parte de extremistas islâmicos que os consideram "infiéis". Eles pertencem a um grupo curdo pré-islâmico que reúne várias centenas de milhares de pessoas no norte do Iraque e na Síria.

Tudo o que sabemos sobre:
ITAQUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.