Bombardeio em Alepo deixa 11 mortos, dizem ativistas

Helicópteros do governo sírio bombardearam o norte da cidade de Alepo neste domingo, causando a morte de pelo menos 11 pessoas, segundo ativistas.

Agência Estado

09 de fevereiro de 2014 | 12h09

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, com sede em Londres, diz que bombas improvisadas foram lançadas sobre dois bairros controlados por rebeldes. Entre os mortos, estão uma criança e uma mulher, disseram os ativistas.

Os ataques de hoje fazem parte de uma campanha iniciada semanas atrás pela forças do presidente sírio, Bashar Assad, para reconquistar o controle de Alepo, que foi parcialmente tomada por oposicionistas em meados de 2012.

Em Homs, múltiplos tiroteios e explosões foram ouvidos neste domingo após um comboio da Organização das Nações Unidas (ONU) entrar numa área sitiada da cidade numa tentativa de entregar alimentos aos necessitados. Este foi o segundo dia consecutivo de ataques a um comboio humanitário da ONU. Em casos semelhantes do passado, vários funcionários da entidade responsabilizaram forças leais a Assad pelos ataques. Fontes: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.