Bombardeio israelense deixa mais de 50 mortos no Líbano

Mais de 50 civis morreram nas últimas horas no Líbano durante o ataque mais violento desde o começo da ofensiva israelense, há sete dias, e também é a primeira vez que se registram enfrentamentos armados na fronteira.O jornal The New York Times diz que o número exato de vítimas fatais é de 55. Se o número for confirmado oficialmente, este será o ataque israelense com maior número de mortos desde o início do conflito.A tropas israelenses cruzaram a fronteira libanesa para atacar postos de controle do Hezbollah, a rede de TV Al Arabiya informou que dois soldados israelenses e um militante do grupo extremista foram mortos.Militares disseram que as tropas israelenses cruzaram a fronteira na procura de túneis e armas. O Hezbollah diz ter "repelido" as forças israelenses perto da cidade costeira de Naqoura.O exército de Israel disse mais tarde que os dois soldados tinham sido mortos durante o embate, e outros nove ficaram feridos. Autoridades do Hezbollah, no sul do Líbano, confirmaram a morte do militante.O Canal 10 da televisão local reportou que a unidade que fez a ação era uma força de elite que já operava há alguns quilômetros dentro do Líbano. Logo após o incidente, os militantes bombardearam a área do combate com morteiros, dificultando o resgate dos soldados israelenses feridos.Médicos de um hospital ao norte de Israel informaram que mais de 70 mísseis foram disparados do sul do Líbano durante esta quarta, matando três pessoas na cidade de Nazaré dentre elas duas crianças, informaram autoridades israelenses.Enquanto isso outros mísseis do Hezbollah foram disparados contra a cidade israelense de Haifa, um míssil atingiu um restaurante que estava vazio no momento do ataque. Apenas algumas pessoas ficaram feridas.O Hezbollah também informou que atingiu uma base da força aérea israelense em Ramat David e a cidade de Nahariya foi alvo de outros ataques. O exército israelense permanece sem comentar o assunto.Com essas últimas mortes, o total de vítimas fatais deste combate sobe para 286 no Líbano e 25 em Israel.Matéria atualizada às 16h35

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.