Muhammed Muheisen/AP
Muhammed Muheisen/AP

Bombardeio mata 21 no leste da Síria

Segundo Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, edifícios residenciais foram bombardeados em Mayadin

AE, Agência Estado

24 de agosto de 2012 | 14h49

BEIRUTE - Pelo menos 21 pessoas, muitas delas mulheres, foram mortas nesta sexta-feira, 24, quando edifícios residenciais foram bombardeados pela Força Aérea da Síria na cidade de Mayadin, no leste do país, informaram ativistas locais e o Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, sediado em Londres. Pelo menos um edifício desabou após ser bombardeado pelo caça, disse Rami Abdel Rahman, diretor do Observatório. Caças da Força Aérea Síria também bombardearam alvos na cidade de Marea, ao norte de Alepo e perto da Turquia.

Veja também:

link ONU: Número de refugiados sírios supera 200.000

link Exército da Síria anuncia recaptura do centro de Alepo

O bombardeio a Mayadin, cidade na província de Deir El-Zour, perto da fronteira com o Iraque, ocorreu após os insurgentes terem conquistado o controle de uma ponte sobre o rio Eufrates, disse o ativista local Abu Omar al-Deery. O Observatório Sírio afirmou que dos 21 mortos em Mayadin, 12 eram mulheres e uma, criança.

Al-Deery disse que foram mortas 23 pessoas. Os números não puderam ser verificados de maneira independente, devido às restrições ao trabalho da imprensa na Síria.

"Aconteceu um massacre de verdade em Mayadin. Eu acredito que isso foi uma vingança pela conquista da cidade feita pelo Exército Livre da Síria (ELS)", disse al-Deery, através do Skype. A cidade tem 55 mil habitantes.

Os combates também prosseguiam nesta sexta-feira no subúrbio damasceno de Daraya, cena de intensos confrontos nesta semana. O Observatório, que recebe informações de uma rede local de ativistas, disse que 15 pessoas foram mortas em Daraya nesta sexta, muitas de ferimentos recebidos em combates nos dias anteriores. O Comitês de Coordenação Local, uma rede opositora síria, afirmou que 21 pessoas foram mortas em Daraya.

Com AP e Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.