Bombardeio mata 32 rebeldes da Al Qaeda no Paquistão

As Forças de Segurança paquistanesas bombardearam um suposto refúgio de membros da organização terrorista Al Qaeda perto da fronteira afegã e causaram a morte de 32 rebeldes, informou neste sábado o Exército do país. O general Shaukat Sultan afirmou que o ataque, do qual participaram helicópteros armados "Cobra" e forças de terra, aconteceu na noite de sexta-feira na pequena localidade de Khattay Killay e que todos os falecidos são rebeldes. As Forças de Segurança atacaram após receber relatórios que indicavam que dois dos mais procurados dirigentes da Al Qaeda, os clérigos islâmicos Maulvi Sadiq Noor e Maulvi Abdul Khaliq, escondiam-se junto com dezenas de seus seguidores nessa localidade, situada cerca de 10 quilômetros de Miranshah, capital da conflituosa região do Norte de Waziristão. Syed Zaheerul Islan, representante da administração local, disse que o ataque foi dirigido contra uma casa situada perto de uma escola religiosa. "Havia informação de que os rebeldes se escondiam ali e também recebemos relatórios sobre a presença de um depósito de munição", disse.

Agencia Estado,

11 Março 2006 | 08h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.