Bombardeio matou 200 partidários de Saddam, diz general

Pondo em prática a decisão de transformar o Partido Baath em seu principal alvo em Basra, a coalizão anglo-americana lançou na noite de sexta-feira um ataque com mísseis contra um edifício onde estavam reunidos membros da agremiação e anunciou que cerca de 200 deles morreram."Cada vez que fazemos um desses ataques continuamos degradando o regime", afirmou hoje o general norte-americano Victor Renuart.O Comando Central dos Estados Unidos divulgou um vídeo do ataque, que mostra a destruição de um edifício de dois andares a nordeste de Basra, no qual estaria sendo realizada a reunião do Baath.Renuart disse que dois caças Eagle F-15E dispararam mísseis guiados por laser e equipados com "espoletas de atraso", um dispositivo para detonar a carga explosiva apenas depois que os mísseis penetram no alvo, o que minimiza o efeito externo da explosão. Renuart não explicou como as forças anglo-americanas sabiam sobre o encontro do Baath, nem como estimou o total de mortos em 200. Esse total não pôde ser imediatamente confirmado por outras fontes.Um porta-voz das tropas britânicas, que há dias assediam Basra, uma cidade de 1,3 milhão de moradores no sul do Iraque, confirmou a decisão de acabar com o partido do presidente iraquiano, Saddam Hussein."Nosso objetivo em Basra precisa ser convencer o povo a ter confiança para rebelar-se contra o controle político opressivo do Baath e os irregulares que seguem suas ordens", afirmou o coronel britânico Chris Vernon, no Kuwait."Assim, atingir e erradicar o Baath é agora o objetivo crítico que precisamos alcançar, é o principal esforço dos militares britânicos", acrescentou, advertindo que todos os membros da organização serão considerados "combatentes", ou inimigos das tropas da coalizão.Vernon disse ainda que, embora "lentamente", o que ele chamou de "forças irregulares" de Saddam em Basra "estão capitulando". Segundo o porta-voz, como parte da "campanha psicológica" para incentivar a população a rebelar-se contra o Baath, tanques britânicos entraram numa área periférica de Basra e destruíram duas estátuas de Saddam Hussein.Também na sexta-feira, cerca de mil civis fugiram de Basra para posições controladas por forças da Grã-Bretanha fora da cidade, mas outro grupo de mil civis que tentava fazer o mesmo foi forçado a voltar depois que milicianos pró-Saddam abriram fogo contra a multidão, informou a porta-voz militar britânica Emma Thomas.PrisioneirosO general Renuart disse que as forças americanas capturaram mais de 3.000 prisioneiros iraquianos e que eles serão levados a um local onde estarão sob os cuidados da Cruz Vermelha.Covas rasasO general confirmou que forças americanas encontraram corpos de soldados em covas rasas nas proximidades de Nasiriya, onde uma batalha feroz se desenrolou ao longo de dias. Ele disse que investigadores estão se dirigindo ao local. A 507ª Companhia de Manutenção do Exército havia sido emboscada por soldados iraquianos no último domingo. Pelo menos dois soldados da 507ª foram mortos, e o Departamento de Defesa disse que oito outros estavam desaparecidos e cinco, aprisionados. ?Também vamos abordar a questão de ver se não houve crimes de guerra nessas mortes?, disse Renuart. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.