Bombardeio no Egito deixa quatro pessoas mortas

A explosão de uma bomba a bordo de um trem ao norte de Cairo deixou quatro mortos, incluindo dois policiais, e nove feridos, afirmaram autoridades nesta quinta-feira. É o ataque mais recente de supostos militantes islâmicos que lutam contra o governo do presidente Abdel Fattah El Sissi.

Estadão Conteúdo

06 Novembro 2014 | 17h20

A explosão ocorreu na noite de quarta-feira no Delta do Nilo, afirmaram três autoridades. Também na mesma noite, três pessoas ficaram feridas quando uma bomba caseira explodiu a bordo de um trem em Al Margno, no subúrbio do Cairo.

Na quinta-feira de manhã, uma mulher ficou levemente ferida após um explosivo caseiro explodir perto de uma das instalações presidenciais do Cairo, o palácio de Al Quba, afirmaram funcionários , falando sob condição de anonimato.

Ninguém reivindicou imediatamente a responsabilidade por instalar qualquer uma das três bombas,

mas os ataques tinham as marcas de militantes islâmicos que combatem o governo de El Sissi, um general que assumiu o cargo político em junho, quase um ano depois de liderar a derrubada militar do presidente islamita Mohammed Morsi.

O ataque ao trem no Delta do Nilo ocorreu horas depois de El Sissi nomear o ex-ministro do Interior, Ahmed Gamal Eddin, como conselheiro de Segurança e o diplomata de carreira e ex- ministro do Gabinete, Faiza Aboul Naga, como Conselheiro Nacional de Segurança. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Egitoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.