Bombardeio no Paquistão mata 12 rebeldes islâmicos

Aviões e helicópteros paquistaneses bombardearam neste domingo uma área tribal próxima da fronteira com o Afeganistão, matando pelo menos 12 supostos rebeldes islâmicos, afirmou uma fonte militar.

AE, Agencia Estado

19 de abril de 2009 | 12h51

O ataque aéreo contra Ghiljo, no distrito de tribal de Orakzai, ocorreu apenas um dia após ataque suicida que matou mais de 20 agentes de segurança em Hangu, uma cidade situada nas proximidades. O ataque foi reivindicado pelo Taleban.

"Enviamos jatos e helicópteros, e pelo menos quatro bases do Taleban foram destruídas nos bombardeios. A informação é de que 12 militantes morreram, mas o número final pode ser maior.", afirmou a fonte.

Mais cedo, pelo menos três pessoas morreram e cinco ficaram feridas neste domingo em um ataque com mísseis atribuído aos Estados Unidos em uma zona tribal no noroeste do Paquistão, próximo à fronteira com o Afeganistão, informaram autoridades locais.

O ataque nas redondezas da cidade de Zari Noor, em Waziristão do Sul, teria sido lançado por um avião norte-americano não tripulado, segundo funcionários do governo local. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
TalebanPaquistãoatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.