Bombardeios aéreos deixam 35 mortos e dezenas de feridos na Síria

Região nordeste do país, com forte presença do Estado Islâmico, foi alvo

O Estado de S.Paulo

26 Maio 2017 | 04h35

CAIRO - Pelo menos 35 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas após bombardeios por aviões militares - ainda não identificados - na província de Deir al Zur, no nordeste da Síria, considerada um bastião do grupo jihadista Estado Islâmico. 

O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou nas últimas horas que aviões lançaram ataques de maneira consecutiva em dois pontos da cidade de Al Mayadin, no leste da província de Deir al Zur, na fronteira com o Iraque. 

O primeiro ataque teve como alvo um edifício de quatro andares onde, segundo a ONG, viviam famílias dos terroristas do EI, no qual morreram cerca de 26 parentes dos radicais, de nacionalidade síria e marroquina. 

Esse bombardeio causou também a morte de quatro civis e deixou uma série de feridos e desaparecidos, segundo a ONG. 

O segundo ataque teve como objetivo o mercado da cidade e provocou a morte de quatro crianças e uma mulher.  

O Observatório afirmou que os aviões militares chegaram a Al Mayadin procedentes do Iraque. O EI autoproclamou um califado na Síria e no Iraque em fins de junho de 2014. / EFE

Mais conteúdo sobre:
SíriaEstado IslâmicoONGIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.