AFP PHOTO / Omar haj kadour
AFP PHOTO / Omar haj kadour

Bombardeios contra escola no norte da Síria deixa pelo menos 22 mortos

Pelo menos 14 crianças e uma professora morreram em ataque da aviação russa a complexo de escolas e seus arredores na província noroeste de Idlib; número de vítimas pode aumentar, diz ONG que acompanha o conflito

O Estado de S. Paulo

27 Outubro 2016 | 11h49

DAMASCO - Pelo menos 22 civis morreram na quarta-feira, 26, na maioria crianças, em bombardeios da aviação militar russa contra um complexo de escolas e seus arredores na província noroeste de Idlib, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

O diretor do Observatório, Rami Abderrahmán, explicou por telefone que entre os mortos há 14 crianças, alunos da escola localizada na aldeia de Hás, e uma professora. A ONG não descartou que aumente o número final de vítimas porque há feridos em estado grave e desaparecidos sob os escombros dos edifícios.

Os aviões de guerra russos efetuaram pelo menos seis ataques aéreos contra o complexo escolar e seus arredores, o que causou uma ampla destruição.

Também em Idlib, helicópteros do Exército sírio lançaram barris explosivos ao sudeste da cidade de Khan Shijun, no sul da província. Estes ataques foram seguidos de bombardeios da aviação militar, embora se desconheça por enquanto se deixaram vítimas.

A Província de Idlib está controlada quase totalmente pela Frente da Conquista do Levante (ex-filial síria da Al-Qaeda) e outras organizações armadas islâmicas e insurgentes. Entre 20 e 25 de outubro, 50 pessoas morreram, entre elas dez menores e 13 mulheres, pelos bombardeios da aviação síria e russa em Idlib. / EFE

Mais conteúdo sobre:
ONGAl-QaedaSíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.