EFE
EFE

Bombardeios e queda de avião na Síria deixam 27 mortos e 70 feridos

Cidade de Ariha na Província de Idlib, perto da fronteira com a Turquia, foi tomada por uma aliança de insurgentes islâmicos em maio; ONG diz que número de vítimas pode aumentar

O Estado de S. Paulo

03 de agosto de 2015 | 11h14

BEIRUTE - Pelo menos 27 pessoas morreram e 70 ficaram feridas por bombardeios do governo sírio e pela queda de um caça de combate do governo sobre um mercado cheio na cidade de Ariha, tomada pelos rebeldes, nesta segunda-feira, 3, de acordo com um grupo que monitora o conflito. Várias pessoas ficaram feridas.

A cidade da Província de Idlib, que fica perto da fronteira com a Turquia, foi tomada por uma aliança de insurgentes islâmicos em maio, de acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), sediado na Grã-Bretanha. O Exército sírio ainda não comentou o caso.

A opositora Rede Sham publicou em sua página do Facebook imagens da zona na qual o avião de guerra caiu, onde ficava um mercado popular, que ficou completamente destruído.

Ariha está controlada desde o final de maio pelo Exército do Fatah - uma coalizão de facções islâmicas - e pela Frente al-Nusra, filial síria da Al-Qaeda, entre outros.

O avião caiu na principal rua comercial da região, onde os lojistas estavam abrindo suas lojas e o movimento começava a aumentar. Segundo o OSDH, a aeronave não teria sido atingida por disparos.

Por outro lado, o Observatório acrescentou que helicópteros do Exército lançaram hoje barris de explosivos contra o povo de Al-Habit, no sul de Idlib, sem que por enquanto tenham sido registradas vítimas.

A Síria é há mais de quatro anos palco de um conflito que já deixou mais de 230 mil mortos, de acordo com a apuração dessa ONG. / REUTERS e EFE

TV australiana exibe reality show sobre a guerra na Síria:

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaArihaguerra civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.