Zein AI Rifai/AFP
Zein AI Rifai/AFP

Bombardeios liderados pelos EUA matam ao menos 23 na Síria

Coalizão internacional já é responsável pelas mortes de 1.226 civis na Síria, segundo ativistas

O Estado de S.Paulo

18 Abril 2017 | 05h39

CAIRO - Ao menos 23 pessoas, entre elas vários civis, morreram na madrugada desta terça-feira, 18, em bombardeios atribuídos à coalizão internacional encabeçada pelos Estados Unidos. O ataque mirou áreas controladas pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI) no norte do país, segundo informações divulgadas por ativistas.

Dentre os mortos, ao menos três civis e três membros do EI, de nacionalidade iraquiana, perderam a vida durante um ataque aéreo próximo à cidade de Al Bukamal, na fronteira entre a província síria de Deir e o Iraque. Também houve bombardeios em um dos acessos de Al Bukamale na área do poço petrolífero de Al Hamar, no deserto.

Outras sete pessoas, entre elas mulheres e um menor de idade, morreram em bombardeio similar contra os moradores de Al Hasiniya, no oeste de Deir. Os aviões lançaram doze foguetes contra a Faculdade de Agricultura de Al Hasiniya, que foi convertida em uma base do EI.

A coalizão começou a intervir na Síria em 23 de setembro de 2014 e, desde então, já bombardeou postos do EI e da ex-filial síria da Al Qaeda. O Observatório de Direitos Humanos na Síria, com sede na Europa, afirma que chega a 1.226 o número de civis mortos nos ataques da coalizão em território sírio. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.