Bombardeios matam 35 pessoas no Iraque

Uma nova onda de ataques de insurgentes matou ao menos 35 pessoas no Iraque neste domingo, disseram oficiais. A maior parte dos ataques envolveu carros bomba em cidades predominantemente xiitas no centro e no sul do país.

Agência Estado

15 Setembro 2013 | 10h17

A violência continua numa onda de sangue que já toma o país por meses. Ninguém assumiu a responsabilidade pelos eventos, que tiveram como alvo áreas comerciais e estacionamentos em sete cidades. Ondas de bombardeios sistemáticas são usadas pelo braço local da Al-Qaeda para abalar a confiança do governo liderado por xiitas.

O ataque com maior número de mortos aconteceu na cidade de Hillah, a 95 quilômetros ao sul de Bagdá, onde a explosão de um carro bomba perto de um mercado a céu aberto e de um estacionamento matou nove civis e feriu outros 15, segundo um oficial da polícia. Poucos minutos depois, outro carro bomba explodiu na região, matando mais seis civis e ferindo 14.

Na cidade próxima de Iskandariya, a 50 quilômetros ao sul da capital, outro carro bomba explodiu num estacionamento, matando quatro civis e ferindo nove, de acordo com a polícia.

Outros explosivos em carros dispararam na área industrial da cidade xiita de Karbala, matando quatro e ferindo 25, de acordo com um policial. A cidade fica a 80 quilômetros ao Suk de Bagdá. Em Kut, outra cidade também dominada por xiitas 160 quilômetros distante da capital ao sudeste, um carro bomba matou duas pessoas e feriu 14 numa região em que haviam trabalhadores de construção e bancas de comida.

Nas proximidades da cidade sunita de Azamiya, um carro explodiu matando três e ferindo oito. Dois outros carros atingiram as cidades adjacentes de Basra e Nasiriya, matando cinco civis e ferindo 21, de acordo com dois policiais. Mais dois civis foram mortos quando uma bomba atingiu uma patrulha policial nos subúrbios de Bagdá. Outros nove foram feridos. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Iraquebombardeiosmortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.