AP Photo/Ariel Schalit
AP Photo/Ariel Schalit

Bombardeios na Síria deixam ao menos três civis mortos no quarto dia de cessar-fogo

Vítimas foram alvo de um ataque de aviões de guerra não identificados

O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2016 | 15h16

BEIRUTE - Pelo menos 3 civis - 1 homem e 2 menores - morreram nesta sexta-feira, 16, e outros 13 ficaram feridos por bombardeios no norte da Síria, que vive seu quarto dia de trégua, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

A ONG explicou que essas vítimas foram alvo de um ataque de aviões de guerra de origem desconhecida contra a cidade de Jan Shijun, no sul da província setentrional de Idlib. Anteriormente, a fonte havia informado sobre ataques aéreos na madrugada no norte e no centro do país.

Um deles foi contra um centro da Defesa Civil, que presta trabalhos de resgate nas áreas fora do controle das autoridades, na população de Al Tamaneh, no sul de Idlib, e que ficou fora de serviço. Também houve bombardeios sobre as cidades de Maarat al Numan e Sinjar, na mesma província, sem registro de vítimas.

Quase toda Idlib está sob o controle da Frente da Conquista do Levante (antiga Frente Al-Nusra) e seus aliados. A organização, junto ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI), está excluída do acordo de cessar-fogo na Síria, alcançado por Washington e Moscou.

Outras regiões nas quais houve ataques similares nas últimas horas são Al-Rastan, no norte da província central de Homs, e Al-Rayan, no leste de Hama.

O Observatório também indicou que pelo menos 3 combatentes morreram pelos ferimentos sofridos em confrontos com soldados governamentais em Hush Nasri e em Yobar, próximo a Damasco, onde 21 morteiros e foguetes foram lançados. Segundo o Observatório, esses são os primeiros milicianos que perdem a vida em confrontos desde o começo da trégua, que se prolongará até no domingo. / EFE e AFP

Veja abaixo: Tiros na Síria interrompem fala de general russo

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaCessar-fogoBashar Al Assad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.