Bombas da Otan atingem escritório de Kadafi na Líbia

Bombas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) destruíram hoje o escritório do governante líbio, Muamar Kadafi, em sua residência em Trípoli. Enquanto isso, rebeldes avançavam contra as tropas do ditador na disputada cidade de Misurata, que está sob controle dos oposicionistas.

AE, Agência Estado

25 de abril de 2011 | 09h17

Fortes explosões foram ouvidas no centro de Trípoli, pouco após à meia-noite, quando aviões de combate sobrevoaram a capital. Um funcionário líbio disse que 45 pessoas ficaram feridas no ataque aéreo, 15 com gravidade. Ele acrescentou que não sabia se havia vítimas entre os escombros. "Foi uma tentativa de assassinar o coronel Kadafi", afirmou o funcionário.

Um filho de Kadafi, Seif Al-Islam, qualificou a ação como uma "covardia". Segundo ele, o governo não abandonará a batalha e não está com medo. No fim desta segunda-feira (horário local), aviões da Otan atacaram o distrito de Bab Al-Aziziya, onde fica o complexo presidencial.

Em Misurata, 215 quilômetros a leste de Trípoli, os rebeldes fizeram avanços significativos ontem em uma importante rua da cidade sitiada, onde moradores vivem entre os disparos há 50 dias. O regime líbio já disse que pararia de atacar a cidade portuária, que vive uma crise humanitária, porém houve disparos de foguetes e outros feitos com armas automáticas ontem.

Os rebeldes capturaram ou mataram a maioria dos atiradores de elite que atacavam Misurata. Disparos de artilharia durante a madrugada mataram pelo menos 10 pessoas, entre elas crianças, disseram testemunhas e médicos nesta segunda-feira. No sábado, 28 pessoas morreram e 100 ficaram feridas em Misurata. Em média, morrem ali 11 pessoas por dia, segundo o médico Khalid Abu Falra, da principal clínica privada na cidade.

Grandes protestos começaram na Líbia em fevereiro, inspirados pelos levantes que depuseram os presidentes de Tunísia e Egito. A situação na Líbia evoluiu para um confronto, porém, quando tropas de Kadafi atacaram manifestantes, a oposição reagiu tomando várias cidades no leste do país.

Hoje, moradores de Zintan, no oeste líbio, disseram que quatro pessoas foram mortas por ataques com foguetes lançados por tropas de Kadafi. Além disso, nove pessoas ficaram feridas, nos ataques ocorridos ontem. Zintan fica perto da fronteira com a Tunísia. No fim da sexta-feira, duas pessoas morreram em ataques aéreos da Otan em Zintan, segundo a agência estatal Jana. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaataquesOtanKadafi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.