Bombas e ataques na véspera de eleições na Colômbia

A campanha de intimidação e violência por parte de guerrilheiros colombianos se intensificou nesta sexta-feira, véspera da eleição que terá votação de reformas constitucionais e prosseguirá no domingo com a eleição de autoridades municipais e regionais. Pelos menos quatro bombas explodiram e outras três foram desativas nas últimas horas em várias regiões do país. As ações dos guerrilheiros deixaram pelos menos dois feridos e provocaram danos materiais. Em Bogotá, onde foram mobilizados 17 mil homens para a segurança, guerrilheiros incendiaram um ônibus, mas não houve vítimas. Também na capital, a polícia descobriu granadas e armas durante operações de busca. "A situação é boa dentro do possível, porque os grupos terroristas lançaram uma investida muito forte em vários locais do país", disse a ministra da Defesa Martha Lucía Ramírez. Até agora, cerca de 30 candidatos foram assassinados por grupos armados e 12 outros foram seqüestrados. Mais de 60 candidatos retiraram suas candidaturas devido às ameaças de morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.