Bombas e morteiros deixam 13 mortos em Bagdá

Bombas e morteiros lançados em áreas xiitas de Bagdá e regiões próximas mataram 13 pessoas neste domingo. Policiais disseram que três morteiros caíram em uma área residencial de Sabaa al-Bour, cidade ao norte de Bagdá. Esse ataque matou seis pessoas, incluindo um garoto de 12 anos. Vários carros também ficaram danificados e outras 17 pessoas estavam feridas.

AE, Estadão Conteúdo

21 de setembro de 2014 | 19h21

Mais tarde, na capital Bagdá, a explosão de uma bomba em uma rua comercial matou mais quatro e feriu 11 no distrito de Shaab. À noite, a explosão de outra bomba em mais uma rua comercial, no distrito de Bayaa, matou mais três pessoas e feriu outras sete. As informações foram passadas pela polícia e confirmadas com médicos. Todos falaram sob a condição de não terem o nome publicado, porque não estão autorizados a conversar com a imprensa.

Os ataques contra civis xiitas têm sido uma tática comum do grupo Estado Islâmico, que os considera hereges. Esse grupo já capturou grandes porções de território no leste e no norte do Iraque, bem como na Síria.

Também neste domingo, o tenente-general Qassim al-Moussawi, porta-voz do Exército, anunciou que as forças de segurança conseguiram quebrar um cerco do Estado Islâmico a cerca de 400 soldados na província de Anbar. Ele não ofereceu mais detalhes. Os soldados estavam encurralados na área de Sijir, próximo à cidade de Fallujah, 65 quilômetros a oeste de Bagdá. Já o Ministério da Defesa afirmou que alguns soldados desapareceram. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Iraqueataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.