Bombas matam pelo menos 21 em bairro xiita de Bagdá

Um duplo atentado à bomba num bairro elegante da capital iraquiana nesta terça-feira matou pelo menos 21 pessoas. As sangrentas explosões foram realizadas no mesmo dia em que o governo iraquiano discute questões de segurança com o Irã, fato que demonstra a crescente influência no cotidiano iraquiano.

AE, Agência Estado

31 de julho de 2012 | 16h21

Dois carros estacionados no distrito comercial de Karradah, majoritariamente xiita, explodiram durante o horário de pico vespertino. A maioria dos mortos eram donos e lojas e pessoas que passavam pelo local, embora as explosões tenham atingido também duas delegacias de política e um posto de verificação de segurança, matando seis policiais.

O ataque elevou o número de mortos em tiroteios e explosões de bombas para 245 em julho, perto das 255 vítimas fatais registradas em janeiro. A Al-Qaeda assumiu a responsabilidade por quase todos os ataques realizados em julho e tenta se aproveitar da instabilidade política no Iraque. O grupo voltou a ocupar áreas das quais fora expulso anteriormente, antes dos militares deixarem o Iraque, em dezembro.

Forças de segurança e autoridades do governo são os principais alvos dos insurgentes, que querem provar que o país continua inseguro.

A segunda bomba desta terça-feira explodiu do lado de fora de um escritório de concessão de passaportes, a poucos quarteirões da sede da unidade de criminal do Ministério do Interior. Quinze pessoas morreram e 35 ficaram feridas, informaram autoridades.

Segundo a polícia, dois suicidas e um homem armado invadiram a unidade, que também cuida de casos de contraterrorismo, mas foram mortos antes que pudessem iniciar o ataque. O Ministério do Interior disse em comunicado que os três tinham como objetivo libertar suspeitos de terrorismo mantidos no local.

Cinco minutos antes, a primeira bomba explodiu do lado de fora de um restaurante num movimentado cruzamento, perto de uma delegacia de polícia e de um posto de verificação. Seis pessoas morreram e 21 ficaram feridas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueviolênciabombasBagdá

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.