Bombas matam um e ferem 18 no sul da Tailândia

Polícia é provável alvo das bombas em Yala, a 780 quilômetros de Bangcoc

Associated Press,

17 Julho 2007 | 04h45

Uma bomba explodiu nesta terça-feira, 17, no sul da Tailândia. Um policial foi morto e pelo menos 18 pessoas, que estavam no local para investigar um outra explosão, foram feridas, afirmou a polícia local.   A polícia era o provável alvo das bombas na província de Yala, mas três repórteres também foram feridos nos atentados, a 780 quilômetros ao sul da capital, Bangcoc, acrescentou o policial Chob Khaewsrikan.   A explosão ocorreu na manhã desta terça-feira, 17, em um estacionamento de uma loja de motocicletas perto de uma estação na cidade de Yala. Ninguém ficou ferido, mas quando policiais e repórteres enviados chegaram ao local da ocorrência, a polícia achou uma segunda bomba, que explodiu, em uma motocicleta.   Cerca de 10% da população tailandesa, de 65 milhões de pessoas, são muçulmanos. A maior parte deles vive em Yala, Pattani e Narathiwat. Eles são tratados como habitantes de segunda classe na Tailândia predominantemente budista.   Os muçulmanos acusam o governo de assassinatos fora-da-lei mas o governo acusa que insurgentes são mortos por ambas as comunidades instigadoras do conflito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.