Bombas na Índia deixam pelo menos três mortos

Bombas acionadas por supostos guerrilheiros separatistas deixaram três mortos e 20 feridos entre sábado e domingo no estado indiano de Assam, no nordeste do país. Nenhum grupo assumiu a autoria dos ataques, mas a polícia local suspeita do grupo separatista Frente Unida pela Libertação de Asom (Ulfa).No domingo, uma bomba explodiu em um mercado freqüentado por trabalhadores migrantes em Bohori Bazaar, na região oeste de Assam, matando uma pessoa e deixando outras três gravemente feridas. No sábado, duas explosões deixaram dois mortos e pelo menos 15 feridos em Tinsukhia. De acordo com a polícia local as vítimas eram em sua maioria trabalhadores migrantes. Na cidade de Digboi, supostos militantes da Ulfa invadiram a casa de um líder local do Partido do Congresso (secularista) e o assassinaram a tiros.A Ulfa combate pela separação de Assam há cerca de 30 anos e seu alvo principal tem sido a comunidade de trabalhadores migrantes de língua hindi; pelo menos 10 mil pessoas morreram em três décadas de combates. Os separatistas argumentam que o governo central da Índia, cerca de 1.600 km a oeste, explora os recursos naturais da região sem lhe dar compensações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.