Bombas sobre Cabul e Jalalabad deixam mortos

Aviões norte-americanos bombardearam nesta segunda-feira a cidade de Jalalabad e o aeroporto de Cabul durante o nono dia de ataques contra o Afeganistão enquanto o Pentágono investiga o ocorrido na arrasada aldeia afegã de Coram, que o Taleban mostrou aos jornalistas ocidentais onde morreram cerca de 200 civis, muitos dos quais eram crianças. Cabul foi atacada em diversas ocasiões à luz do dia e, durante a noite, muitas pessoas disseram ter escutado fortes explosões precedidas pelo ruído de um avião que voava a grande altitude. Segundo notícias que chegaram ao Paquistão, esta segunda-feira foi um dia infernal para Cabul, pois as defesas antiaéreas foram duramente atacadas e reduzidas quase à impotência. Para as forças aliadas, bombardear a capital afegã é quase uma brincadeira de criança e, apesar de não haver notícias sobre a quantidade de mortos entre a população civil, sabe-se que o número de vítimas amplia-se diariamente. Abdul Hanan Himat, ministro da Informação do Taleban, disse que pelo menos 12 pessoas morreram e 32 ficaram feridas durante um bombardeio noturno contra a cidade de Qala-i-Nau, na província de Baghdis. Stephanie Bunker, porta-voz da Organização das Nações Unidas (ONU), disse hoje a jornalistas em Islamabad que na sexta-feira os aviões aliados bombardearam a cidade de Mazar-e-Sharif, deixando pelo menos cinco mortos. As bombas, segundo ela, caíram em alguns edifícios do governo, em pleno centro da cidade, e sobre um mercado. Esta cidade do norte do país, situada na fronteira com o Usbequistão e de grande importância estratégica, está sendo atacada tanto pelas forças aliadas quanto pelos combatentes mujahedines da Aliança do Norte. Um de seus porta-vozes anunciou hoje que os soldados da aliança nortista chegaram perto do aeroporto de Mazar-e-Sharif e que estão a poucos quilômetros de seu perímetro urbano. Desde o início dos bombardeios anglo-americanos, a Aliança do Norte pôs em marcha uma ofensiva contra o Taleban. No entanto, parece que ela recebeu ordens de não apertar demais o acelerador. Por enquanto, resta definir qual será a eventual situação no Afeganistão se o Taleban for derrubado do poder, pois o Paquistão, agora um importante aliado dos Estados Unidos, é inimigo da Aliança do Norte e não quer que os mujahedines tomem o poder. Por este motivo, tenta-se comprometer como garante institucional o ex-rei Zahir Shah, exilado em Roma. Em Jalalabad, segundo informações que chegaram ao Paquistão, os bombardeios de hoje teriam afetado apenas a periferia da cidade. No centro, o movimento parecia normal, apesar da constante presença de soldados do Taleban com lançadores de foguetes nas costas. Leia o especial

Agencia Estado,

15 Outubro 2001 | 19h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.