Michel Euler / AP
Michel Euler / AP

Bombeiros dizem que conseguiram impedir colapso total da Catedral de Notre-Dame

Governo francês ainda evita confirmar que a catedral medieval está fora de perigo, mas mostra um "otimismo cauteloso"

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2019 | 18h15

PARIS - Bombeiros que combatem as chamas no incêndio na Catedral de Notre-Dame, em Paris,  disseram no começo da noite desta segunda-feira, 15, que conseguiram salvar a igreja medieval da destruição total. O governo francês ainda evita confirmar que a catedral medieval está fora de perigo, mas mostra um "otimismo cauteloso". 

Segundo os bombeiros, o combate às chamas na última 1h30 era crucial para impedir o desabamento da torre norte do edifício, o que foi feito com sucesso.

O ministro do Interior francês, Christophe Castaner, disse que está mais otimista do que há algumas horas sobre a possibilidade de salvar a estrutura da Catedral de Notre-Dame. Ainda de acordo com ele, serão necessárias mais três ou quatro horas para concluir o controle das chamas. 

Sobre declarações dos bombeiros que atuam no local de que o colapso total da catedral foi impedido, fontes do governo francês dizem estar "cautelosamente otimistas". O trabalho de resfriamento da estrutura do edifício, dizem elas, será crucial. 

Incêndio começou em área que passava por restauração 

Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo pode estar relacionado a obras de restuaração que estavam sendo feitos no edifício, que começou a ser construído em 1163.  A polícia de Paris, no entanto, diz que é cedo para identificar as causas do incêndio e não há registro de vítimas.

A Promotoria anunciou a abertura de uma investigação para determinar as circunstâncias do incêndio, que começou às 18h30 locais (13h30 em Brasília).

"Agora começamos uma missão de tentar salvar as preciosas obras de arte e estamos dando prioridade de ampliar a segurança nas imediações para proteger os turistas e os vizinhos dos riscos de desmoronamento", acrescentou o vice-prefeito a um canal de TV. 

A Diocese de Paris disse que o incêndio destruiu a parte mais antiga da igreja, cuja maior parte do material era de madeira, entre eles o pináculo central. 

"Não vai sobrar nada da estrutura (do teto), que data do século 19 de um lado e do 13 de outro", disse o porta-voz da catedral, André Finot

Restauração custava R$ 26,8 milhões

A catedral passa por um processo de restauração em sua torre estimado em US$ 6,8 milhões (R$ 26,8 milhões). Seria feita uma renovação no pináculo de 250 toneladas de chumbo que ficava no topoda principal torre. O fogo teria começado no sótão, na base da torre, de onde podem ser vistas saindo chamas e fumaça preta.  Imagens de TV mostram que as chamas se projetam muito acima da construção. 

A Prefeitura de Paris isolou o local e está montando um grande efetivo para combater as chamas. A catedral, do século 12, é um dos principais pontos turísticos da cidade e ficou famosa  por ser o cenário do clássico romance de Victor Hugo O Corcunda de Notre-Dame. 

Ela recebe uma média de 13 milhões de visitantes ao ano. As chamas atingem principalmente a nave principal da catedral gótica. Incrédulos, pedestres pararam ao longo do Rio Sena, que margeia a catedral, para acompanhar o incêndio. /AFP, EFE,REUTERS e AP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.