Bombeiros retiram do mar entre 100 e 150 pessoas de naufrágio na Itália

Das 4,2 mil pessoas a bordo cerca de 50 estão desaparecidas

Efe,

14 de janeiro de 2012 | 11h34

 Entre 100 e 150 pessoas foram resgatadas do mar pelas equipes de socorro, incluindo um corpo, após o naufrágio do cruzeiro "Costa Concordia" ocorrido na sexta-feira, 13, à noite em frente à ilha italiana de Giglio, na região da Toscana.

O chefe dos bombeiros da localidade vizinha de Grosetto, Ennio Aquilino, acrescentou que o casco tem rompimento nos dois lados.

Das 4,2 mil pessoas a bordo cerca de 50 estão desaparecidas, contabilizaram fontes da Capitania dos Portos de Santo Stefano, onde 4.179 pessoas foram registradas.

A Capitania dos Portos de Giglio informou que ao menos três pessoas morreram e dezenas ficaram feridas no acidente com o cruzeiro com 4.229 pessoas a bordo em águas da ilha italiana de Giglio, no mar Tirreno, na região central da Toscana.

O barco fazia um cruzeiro pelo Mediterrâneo e saiu do porto de Civitavecchia (centro) com destino a Savona (norte), para começar uma viagem com escala em Palermo (Sicília), Cagliari (Sardenha), Palma de Mallorca (Espanha), Barcelona, Marselha (França) e retorno a Savona, segundo nota da companhia barqueira.

O "Costa Concordia", de 114,5 mil toneladas de peso, pertence à frota da Costa Cruzeiros, a maior da Europa e de bandeira italiana, com 15 navios e capacidade para 41 mil passageiros.

A Costa Cruzeiros foi a primeira companhia do mundo a receber a "Green Star", um reconhecimento ambiental.

Tudo o que sabemos sobre:
naufrágioCosta Concordianaufrágio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.