Xinhua/Reuters
Xinhua/Reuters

Bombeiros voltam a lançar água no reator 3 da usina de Fukushima

Equipes tentam fazer a temperatura cair para evitar explosões; água do mar é utilizada na operação

Efe,

19 de março de 2011 | 05h33

OSAKA - Equipes de bombeiros retomaram neste sábado, 19, o lançamento de água a partir de canhões sobre o reator 3 da usina nuclear de Fukushima para tentar fazer a temperatura cair, em uma operação de mais de sete horas.

Segundo a emissora de televisão nacional NHK, os bombeiros estacionaram em frente ao reator um veículo controlado a distância para lançar água sobre a piscina de combustível da unidade 3, no terceiro dia de operações para evitar que as barras armazenadas nesse recipiente fiquem expostas ao ar.

A água do mar chega por uma mangueira de 300 metros ao canhão do caminhão, que a lança desde uma altura de 22 metros sobre a piscina.

O processo de resfriamento da piscina do reator 3 é há dias a prioridade dos funcionários da central, já que ali se encontra uma grande quantidade de combustível utilizado que, com a queda do nível da água, pode se aquecer, entrar em ebulição e liberar radioatividade.

Veja também:

blog Twitter: Siga a correspondente Cláudia Trevisan, que está no Japão

especial Infográfico: Entenda o terremoto maiores tragédias dos últimos 50 anos

especial Especial: A crise nuclear japonesa

documento Relatos: envie textos, vídeos e fotos para portal@grupoestado.com.br

Segundo a NHK, as autoridades enviaram neste sábado para Fukushima outro tipo de canhão de água mais potente - similar ao utilizado na crise nuclear de Chernobyl -, que deverá chegar à central nas próximas horas.

Por outro lado, a Agência de Segurança Nuclear indicou que a temperatura das piscinas de combustível aumentou nos reatores 5 e 6, mas espera-se que registre queda nas próximas horas, já que as bombas de resfriamento funcionam nessas duas unidades.

Os trabalhadores da Tokyo Electric Power Company (Tepco), a proprietária da usina, também tentam neste sábado levar a eletricidade aos geradores 1 e 2, em uma crucial operação que permitiria reativar seu sistema de resfriamento.

O Governo do Japão evacuou nesta semana mais de 200 mil pessoas em um raio de 20 quilômetros da central, ao tempo que recomendou a todos os que vivem entre 20 e 30 quilômetros que não saiam de suas casas e mantenham as portas e janelas fechadas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.