Bornéu: confrontos continuam fazendo vítimas

Médicos da cidade de Sampit, uma pequena cidade industrial da Indonésia, afirmaram que a onda de violência entre os ?dayaks?, nativos da região, e os imigrantes da Ilha de Madura, continuam fazendo muitas vítimas. Pelo menos três pessoas foram decapitadas pelos dayaks em Sampit, na parte indonésia da ilha de Bornéu, no noroeste da Indonésia. De acordo com o médico Qomaruddin Sukhemi, três cabeças foram entregues ontem no hospital. O médico suspeita que as vítimas sejam imigrantes da ilha de Madura, que se instalaram na região durante a campanha de migração lançada nos anos 60 durante a ditadura Suharto.Nas últimas semanas, a violência étnica já matou mais de 450 pessoas e deixou milhares de refugiados. Os confrontos começaram no dia 18 de fevereiro. Mais de 70 mil pessoas foram transferidas para a ilha de Java. Hoje, eram esperados mais de 100 refugiados. O primeiro confronto entre os dois grupos aconteceu em 1997, na província de Kalimantan Central, quando aproximadamente 3 mil pessoas morreram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.