Bornéu: governo ajuda a evacuar refugiados

O governo indonésio autorizou o envio de três navios de guerra da Marinha para ajudar no trabalho de evacuação dos refugiados da Província de Kalimantan Central, que nos últimos dias foi palco de intensos conflitos étnicos entre os ?dayaks?, nativos da região, e os imigrantes da Ilha de Madura, que se instalaram na região durante a campanha de migração lançada nos anos 60 durante a ditadura Suharto.Desde o dia 18, a violência étnica já matou mais de 469 pessoas e deixou cerca de 40 mil refugiados. Os navios estão sendo esperados na cidade portuária de Sampit, na parte indonésia da Ilha de Bornéu, onde aconteceram as maiores matanças.Cerca de 20 mil pessoas aguardam no acampamentos de refugiados em Sampit. A maioria dos refugiados são colonos ou descendentes de colonos da ilha de Madura. Nos acampamentos faltam comida e medicamentos. Ontem, a vice-presidente da Indonésia, Megawati Sukarnoputri, visitou os acampamentos e prometeu melhorar as condições. O presidente da Indonésia, Abdurrahman Wahid, está na Arábia Saudita para a peregrinação de Haj muçulmana. Ele partiu do país há duas semanas, quando começaram as matanças. O primeiro confronto entre os dois grupos aconteceu em 1997, na província de Kalimantan Central, quando aproximadamente 3 mil pessoas morreram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.