Bósnia condena 'Monstro de Grbavica' a 45 anos de prisão

O ex-paramilitar montenegrino Veselin Vlahovic, conhecido como "Monstro de Grbavica", foi condenado por um tribunal da Bósnia na sexta-feira (28) a 45 anos de prisão por assassinato, tortura, estupro e saques a civis em Sarajevo durante a guerra da Bósnia, entre 1992 e 1995. A sentença foi a maior já emitida no país.

Agência Estado

29 de março de 2013 | 14h52

O juiz Zoran Bozic afirmou que Vlahovic matou 31 pessoas, estuprou diversas mulheres bósnias e croatas e torturou e roubou residentes não sérvios de um subúrbio de Sarajevo quando lutava a favor dos sérvios bósnios. Entre outros crimes, o juiz descreveu como Vlahovic cortou a garganta de dois irmãos na frente da mãe de ambos. Depois disso, estuprou a mãe e as esposas dos irmãos.

Vlahovic, condenado nos 60 crimes do qual era acusado, os teria cometido entre maio e julho de 1992, em três bairros de Sarajevo controlados por forças sérvias durante a guerra - Grbavica, Kovacici e Vraca.

"Estamos satisfeitos com a sentença máxima", disse o porta-voz da Procuradoria, Boris Grubisic. No entanto, apesar de o ex-paramilitar ter recebido pena máxima, a promotoria pretende recorrer, porque ele foi absolvido de seis acusações.

Vlahovic, de 43 anos, não mostrou nenhuma reação quando o juiz pronunciou o veredicto. O advogado dele, Radivoje Lazarevic, disse que vai recorrer da sentença porque acredita que algumas das 60 acusações pelas quais foi condenado não foram comprovadas.

A chefe de uma associação de vítimas de estupro durante a guerra Bakira Hasecic afirmou que a sentença foi a melhor reparação saída até agora da corte de crimes de guerra da Bósnia, mas acrescentou que mesmo a sentença máxima não era o suficiente para Vlahovic.

Vlahovic fugiu para Sérvia e Montenegro após a guerra. Ele foi preso em Montenegro por roubo a mão armada, mas fugiu da prisão. Em 2010, a polícia espanhola o encontrou vivendo na cidade de Altea. Ele foi extraditado para a Bósnia no mesmo ano, embora também fosse procurado na Espanha por roubo e assalto com arma de fogo. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.