Bósnia inaugura nova presidência após eleições

Membros recém-eleitos da presidência tripartite da Bósnia prometeram acabar com o impasse político que dura anos e revitalizar as reformas que podem aproximar o país da inclusão na União Europeia.

Estadão Conteúdo

17 de novembro de 2014 | 20h33

A presidência foi a primeira instituição a ser formada na Bósnia após as eleições no último mês e os representantes dos três grupos do país (bósnios, croatas e sérvios) se comprometeram, durante a cerimônia de inauguração, a realizarem mais "acordos e cooperação" a fim de encerrar os conflitos políticos que resultaram em estagnação econômica, desemprego e fuga de cérebros.

"Nos próximos quatro anos, eu espero que a presidência seja um motor forte levando este país em frente no caminho da reforma para alcançar a nossa meta mais importante: se tornar um membro da união de nações europeias livres e democráticas", afirmou Bakir Izetbegovic, o membro bósnio da

a presidência e o único que foi reeleito.

O novo membro sérvio da presidência, Mladen Ivanic, por sua vez, disse que "as pessoas na Bósnia-Herzegovina estão exaustas de brigas e confrontos, presas em um círculo vicioso de crise econômica e enorme desemprego. Eles estão deprimidos com a falta de ideias sobre como essa situação pode mudar". Ele acrescentou que é interesse de todos na Bósnia cooperar tanto com os EUA quanto com a Rússia.

Tanto os EUA quanto a União Europeia são favoráveis a entrada da Bósnia no bloco econômico e na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A Rússia, que tem laços estreitos com os sérvios, se opõe a participação do país na Otan e tem tido uma postura reservada sobre o futuro da Bósnia na UE. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Bósniaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.