Boston: 2 mortos e mais de 100 feridos em explosões

Pelo menos duas pessoas morreram e mais de cem ficaram feridas nas explosões de duas bombas posicionadas perto da linha de chegada da maratona de Boston, considerada a mais antiga e tradicional competição do gênero no mundo, informaram autoridades locais nesta segunda-feira.

AE, Agência Estado

15 de abril de 2013 | 20h25

Uma fonte nos serviços de informação dos Estados Unidos disse que mais dois artefatos explosivos foram encontrados perto do fim do percurso, o que levou ao acionamento do esquadrão antibombas.

Nenhum suspeito foi detido até o momento. Também não há informações sobre o motivo do ataque nem houve reivindicação de autoria.

Imediatamente após as explosões, diversas medidas de segurança foram implementadas. Os serviços de telefonia celular foram desativados, o espaço aéreo de Boston foi declarado zona de exclusão e até o perímetro de segurança da Casa Branca foi expandido. As autoridades norte-americanas enfatizaram que as medidas tinham caráter preventivo.

Mais tarde vieram à tona informações referentes a uma explosão numa biblioteca de Boston, mas autoridades locais informaram posteriormente tratar-se de um ato incendiário sem relação com as explosões na linha de chegada da maratona.

Mais de 23 mil pessoas se inscreveram para a maratona deste ano. As explosões perto da linha de chegada ocorreram quase simultaneamente. Muitas das vítimas foram mutiladas na explosão, que também estilhaçou janelas. As bombas estavam a cerca de cem metros de distância uma da outra.

Horas depois da explosão, o presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou que o governo está monitorando a situação em Boston e que todos os recursos já foram disponibilizados para ajudar as autoridades locais a protegerem os cidadãos, aumentarem a segurança conforme necessário e investigarem as ocorrências. "O povo americano vai rezar por Boston hoje e Michelle e eu enviamos nossas preces às famílias das vítimas após essa perda sem sentido", disse Obama.

Ele frisou que ainda não tem todas as respostas, mas que várias pessoas ficaram feridas, algumas gravemente, nas explosões ocorridas na maratona de Boston. "Ainda não sabemos quem fez isso, nem por quê, e as pessoas não devem chegar a conclusões antes de termos todos os fatos. Mas tenham certeza que vamos investigar e descobrir os responsáveis. Vamos descobrir por quê fizeram isso. Quaisquer indivíduos responsáveis ou grupos responsáveis sentirão o peso completo da justiça", afirmou o presidente.

Obama finalizou seu discurso dizendo que a imprensa continuará a ser avisada na medida em que surgirem mais informações. "Ainda estamos no estágio da investigação neste momento, mas só quero reiterar que descobriremos quem fez isso e vamos responsabilizá-los por isso."

Apesar dos comentários de Obama, fontes nos serviços de segurança ouvidas pela Dow Jones disseram que as explosões estão sendo tratadas como um "incidente interno". As informações sobre o episódio estão sendo direcionadas à polícia federal norte-americana (FBI, por sua iniciais em inglês), já que os detalhes que emergiram das investigações iniciais "apontam para um caso de natureza interna".

Uma das fontes observou que os serviços de espionagem dos Estados Unidos continuarão dando apoio ao FBI enquanto não surgirem evidências de envolvimento de grupos estrangeiros, "mas pode ser que em algum momento isso venha a acontecer". Outra fonte acrescentou que não houve nenhuma espécie de ameaça direcionada à organização do evento antes das explosões de hoje. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAmaratonaexplosãoBoston

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.