Botswana deve reeleger presidente nesta sexta-feira

O partido do governo de Botswana, que domina o cenário político desde a independência do país, em 1966, é novamente o mais cotado para vencer as eleições dessa sexta-feira. O resultado nas urnas deve confirmar a reeleição do presidente Ian Khama, que é ex-comandante do Exército e filho do líder da independência, Seretse Khama.

Estadão Conteúdo

23 de outubro de 2014 | 15h25

A oposição, contudo, tenta reunir descontentes dentre sindicatos e outros setores da sociedade, e acreditam que as votações desse ano será uma das mais disputadas da história. Botswana tem a reputação de ser um dos países mais estáveis e politicamente limpos do continente, mas a pobreza e o desemprego têm sido grandes desafios para a economia baseada na extração de diamantes.

Dos 2 milhões de habitantes, 824 mil estão aptos a votar em Botswana. E a maioria parece inclinada a apoiar o Partido Democrático do país, ainda que o líder Ian Khama venha sendo acusado pela oposição de adotar um estilo cada vez mais autoritário de governo. Khama recusa as alegações.

Nas eleições de 2009, o partido do governo conquistou 45 dos 57 lugares no Congresso do país, mas com uma margem de votos cada vez menor. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Botswanaeleiçõespresidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.