Bové se candidata para evitar vitória Sarkozy na França

O produtor rural e ativista José Bové disse na quinta-feira que decidiu disputar a presidência da França para impedir a vitória do candidato de centro-direita, Nicolas Sarkozy, qualificado por ele como perigoso. Bové, inimigo número 1 das redes de fast-food e das plantações transgênicas, disse se considerar uma real alternativa de esquerda à candidata socialista Ségolène Royal, que segundo ele, é ingênua demais para derrotar Sarkozy, atual ministro do Interior. "Estou lutando por uma candidatura que ajude a esquerda, que ajude a bater Sarkozy, e (o líder de direita Jean-Marie) Le Pen", disse Bové à emissora TF1. "O sr. Sarkozy representa um perigo real a este país. O sr. Sarkozy é alguém que está, com comentários perigosos, criando um clima que trará desespero e mais sofrimento." Royal é "um pouco, talvez, ingênua", e "não (está) realmente atacando as causas do desespero", acrescentou. Uma Pesquisa CSA divulgada na quinta-feira apontou o favoritismo de Sarkozy sobre Royal (53-47 por cento) no segundo turno, em 6 de maio. Na pesquisa para o primeiro turno, em 22 de abril, Bové aparece com apenas 1 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.