Boy George pode ir para a cadeia por cárcere privado

Cantor foi julgado por ter aprisionado norueguês; sentença sai dia 16.

Da BBC Brasil, BBC

05 de dezembro de 2008 | 11h27

O cantor britânico Boy George foi considerado culpado nesta sexta-feira de ter mantido cativo um garoto de programas norueguês em sua casa em Londres.A sentença será anunciada no dia 16 de dezembro e o juiz do caso já adiantou que o cantor de 47 anos corre o risco de ter que cumprir pena de prisão."O fato de sua custódia ter sido prorrogada até agora não significa que a sentença não será de prisão", afirmou o juiz David Radford ao cantor."Não desejo criar falsas expectativas."O casoO incidente ocorreu no dia 28 de abril de 2007, quando George convidou o norueguês Audun Carlsen, de 29 anos de idade, para seu apartamento no bairro londrino de Shoreditch.Os dois haviam se conhecido meses antes em um website. Em janeiro, o norueguês, que é garoto de programa, concordou em participar de um ensaio fotográfico sensual na casa do cantor.Na ocasião, os dois consumiram cocaína e Boy George fez sexo oral "por segundos" em Carlsen, até este pedir para que o cantor parasse, segundo contou o norueguês ao tribunal.Segundo a defesa de George, o encontro ia bem até o cantor desconfiar que o garoto de programas estava roubando fotografias de seu computador. Mesmo assim, ele pagou 300 das 400 libras combinadas pela seção de fotos.Boy George não testemunhou no julgamento, mas havia dito à polícia que, quando Carlsen voltou ao seu apartamento em abril, algemou o norueguês enquanto "investigava o roubo".Carlsen acusa ainda o cantor de tê-lo espancado com uma corrente quando ele tentou fugir. Boy George nega esta acusação."Acredito que ele não lida bem com a rejeição, eu não querer fazer sexo com ele", disse ele no tribunal.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.