BP cria organização para lidar com vazamento no Golfo

A BP formalizou a transferência da responsabilidade pela contenção do vazamento de petróleo no Golfo do México e pela operação de limpeza da área afetada das mãos do executivo-chefe da companhia Tony Hayward para Robert Dudley, ao criar a Organização para Restauração da Costa do Golfo (Gulf Coast Restoration Organization). Dudley será presidente e executivo-chefe da recém-criada organização.

AE, Agência Estado

23 de junho de 2010 | 12h19

"A nova organização vai administrar todos os aspectos de resposta ao incidente na plataforma Deepwater Horizon e ao vazamento de petróleo e gás no Golfo do México, assegurando que a BP cumpra sua promessa à população da costa do Golfo e continue seu trabalho para restaurar o ambiente da região", declarou a BP em comunicado.

Dudley - que cresceu na região costeira do Golfo, no Estado do Mississippi, e possui vasta experiência em assuntos políticos polêmicos por causa dos anos em que trabalhou na Rússia - vai se tornar a face pública das operações da BP no Golfo.

Hayward, duramente criticado nos Estados Unidos pela forma como lidou com o vazamento, voltou a Londres para retomar a liderança das operações globais da BP. "Tendo crescido no Mississippi, Bob tem forte apreço e afinidade com a costa do Golfo e acredita profundamente no compromisso da BP em restaurar a região", afirmou Hayward sobre Dudley.

Anteriormente, Dudley dirigia a TNK-BP - joint venture da BP com um grupo de bilionários russos -, mas foi forçado a sair em 2008, em função de uma disputa sobre o controle da companhia. Ele foi designado como vice-presidente-executivo responsável pela supervisão geral das atividades da companhia nas Américas e na Ásia em 2009. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.